Conversando com minha mãe, ela me contou da filha de uma amiga, que disse não ler a Bíblia porque era muito complicado de entender, porque achava que não era tão importante ler.  O ponto principal, colocado por minha mãe a ela, para explicar a importância de ler a Bíblia, bastante óbvio se você parar para pensar, é: “como você vai servir a um Deus que você nem conhece?” Sem saber como Ele é, como Ele age, como Ele pensa, como seguí-lo? É por isso que vemos tantas pessoas fragilizadas, tanta gente enfraquecida nas igrejas, de um modo geral. Porque as pessoas não conhecem Deus, não sabem quem Ele é. Procuram conhecer a Deus pela experiência e informação dos outros, enquanto Ele deixou Sua Palavra escrita para que ali pudessem conhecer tudo a respeito de sua personalidade, seu caráter e sua maneira de pensar. Não precisamos e não podemos seguir a Deus pela cabeça dos outros, é NECESSÁRIO termos experiência pessoal com ele, uma amizade mesmo.

Se eu admiro um escritor, procurarei ler tudo o que ele escreveu para saber o que se passa em sua cabeça, para absorver o espírito daquela leitura, não é? Nosso Deus é o Escritor dos escritores, é o maior de todos, incomparável. E nos deixou um Livro que é maior do que qualquer outro livro, pois cada versículo se desdobra em uma longa conversa com Ele. É um livro multidimensional, escrito pelo único Ser multidimensional que existe, que é o nosso Deus. A Bíblia é completa, é perfeita, e Deus está pronto para nos revelar todas as dimensões de sua Palavra, se nos colocarmos à disposição dele para fazer essa leitura, com sede de conhecê-lo. Eu sou escritora, passei muito tempo da minha vida exclusivamente escrevendo, e só não publiquei nada por editora alguma porque realmente não quis, pois tive convites, mas nunca me sentia segura o suficiente para concluir um dos meus inúmeros livros começados e dizer: “está pronto, está bom, quero publicar”. Mas continuei escrevendo artigos, fazendo revisões, trabalhando com literatura, que era minha principal atividade antes de começar a trabalhar com escultura personalizada. É tão legal quando alguém diz: “gosto muito do que você escreve”, e quando alguém acompanhava meu blog há bastante tempo acabava me conhecendo bem e fazendo amizade comigo. O contrário também era verdade, pelo que eu escrevia, a pessoa via se tinha ou não afinidade com meu jeito de pensar e se aproximava, ou se afastava. Em alguns momentos, eu via, por um comentário ou outro, uma pergunta que eu já havia respondido no texto, que a pessoa tinha tido preguiça de ler todo o post. Isso era muito chato, porque dava vontade de dizer: “escuta, lê tudo novamente, que a resposta está ali”. E às vezes eu até dizia…claro que com outras palavras (com mais palavras).

Com Deus é a mesma coisa. Imagina que chato você batendo em uma tecla com Ele, uma dúvida que Ele já respondeu no Livro que escreveu e que deixou para você ler. Como escritora e como amiga eu me sinto tão desprezada quando alguém que se diz meu amigo ou mesmo algum parente diz que não lê meu blog porque tem preguiça, meus textos são longos, eu uso palavras difíceis e cansa ler. Parece que a pessoa quer dizer que não se interessa pelo que eu penso, pelo que eu quero dizer e que eu não sou assim tão importante para que ela gaste um pouquinho de seu tempo tentando me conhecer melhor. Em contrapartida, é tão prazeroso, eu me sinto tão amada quando algum amigo ou parente me diz que eu devo escrever com mais frequência, que sente falta de meus textos, que mesmo eles sendo longos são tão gostosos de ler que quando mal percebe, eles já acabaram! Eu me sinto valorizada, amada e dá vontade de escrever mais, de fazer mais por essa pessoa que me considera tanto.

Perdi a conta de quantos e-mails recebi de pessoas que eu nem conhecia, pedindo atualizações dos blogs e de artigos nos sites em que eu colaborava, elogiando os textos e dizendo que sentiam a minha falta. E hoje eu penso que se uma pessoa é capaz de demonstrar carinho e consideração por outra pessoa que nem conhece, somente por gostar do que essa pessoa coloca de si no que escreve, imagina qual não seria a atitude correta de alguém que diz amar ao Senhor sobre todas as coisas, diante daquilo que Ele escreveu?

Amigo, se você quer conhecer a Deus, comece pelo blog dele, a Bíblia Sagrada. Ele tem atualizações diárias e eternas, ainda que nenhuma letra mude, Ele nos revela coisas novas a seu respeito todos os dias. E, como já escrevi, em outro artigo, Ele quer ser nosso amigo, quer falar conosco como falava com Moisés (”como alguém fala com seu amigo”), é esse nível de intimidade que devemos buscar ter com Ele. Não somos menos do que os homens da Bíblia, nem somos mais, somos iguais e temos condições de ter o mesmo relacionamento com Ele. Aliás, como estamos no tempo da Graça, com o Espírito Santo em nós, não estamos mais separados de Deus, e Ele deveria se manifestar em nossa vida muito mais do que no Antigo Testamento. Por que o povo acha que o tempo da Graça tem de ser tão sem graça? Sem convívio íntimo com Deus, sem amizade, sem poder, sem milagres, sem maravilhas? Não é assim, não! Leia a Bíblia, procure conhecer quem é o Deus que você serve e você nunca mais terá dúvidas a respeito do que Ele quer e do que Ele não quer fazer em sua vida.