O Salmo 27 é um dos meus preferidos, e foi ele a base da Palavra do discipulado do dia 22 de outubro, que revelou o quarto segredo para um novo coração: a confiança. O versículo usado foi o que sempre me deixou mais impressionada, que mostra a intensidade da confiança de Davi em Deus. O Pastor Fábio deixou clara a diferença entre acreditar e confiar. Eu acredito em Deus e nas coisas que Ele faz porque depois de tudo o que a gente ouve e – principalmente – vê na igreja e na Bíblia, não tem como não acreditar. No entanto, eu mostro se confio ou não pelas minhas atitudes. Quem confia não toma atitudes baseando-se no que acha ou no que sente no coração, se a gente resolver agir de acordo com o que sente no coração, está encrencado…até porque a própria Bíblia já nos avisa que “enganoso é o coração do homem”. A pessoa pode dizer que acredita, mas se deixa o medo entrar no coração já vai querer agir por impulso, fazer as coisas na força do braço, e isso sufoca qualquer confiança. Quem confia, descansa.

“O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo?” Se Deus é a sua luz você não anda nas trevas, você não anda no escuro, você enxerga o caminho por onde tem de andar, se Ele é a sua salvação, Ele te livra de todo e qualquer mal, e sendo Ele maior e mais poderoso do que qualquer força deste mundo ou de fora deste mundo, você vai ter medo de quê? Se você tem medo, onde está a sua confiança? “O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?” Se o Senhor é a fortaleza da sua vida, Ele te protege, como a fortaleza protegia a cidade e a mantinha cercada e guardada dos inimigos. Se Deus é a fortaleza da sua vida, significa que Ele te mantém bem guardado, protegido. Quem quiser chegar até você, terá que primeiro passar por Deus. Então, meu amigo, a quem você temerá? Quem pode te atingir se Deus for a fortaleza de sua vida? “Quando malfeitores me sobrevèm para me destruir, meus opressores e inimigos, eles é que tropeçam e caem”. Essa era a confiança de Davi e isso era o que realmente acontecia na vida dele, pois Deus era a sua fortaleza, Davi tinha sua vida guardada e protegida por Deus, então quando os inimigos se levantavam para destruí-lo, eram eles quem tropeçavam e caíam, pois deparavam-se com a Fortaleza, que guardava Davi. Isso é muito forte!

E Davi continua a descrever sua confiança: “Ainda que um exército se acampe contra mim, não se atemorizará o meu coração”. Depois de entender que Davi estava guardadinho, protegido pelos fortes muros da Fortaleza que era o próprio Deus, fica fácil compreender o porquê de ele dizer que mesmo que um exército se acampasse contra ele, ele não teria medo. Agora não se esqueça que naquele tempo, eles realmente iam para a guerra, eles realmente tinham exércitos. Então Davi estava sendo metafórico, sim, mas também estava sendo literal. Ele estava falando de problemas e inimigos espirituais, mas também estava falando de exércitos armados. A confiança de Davi era tanta que ainda que um exército literalmente se acampasse contra ele, ele não teria medo. Ele veria o exército, e apesar de não estar vendo Deus, de não ver a Fortaleza ao redor dele fisicamente, ele SABIA que estava protegido por Deus e não teria medo. Aquela proteção que ele não via era mais forte dentro dele do que o exército que ele estava vendo. Preste atenção nisso!! Você vê o seu problema, você vê a situação se levantar. Deus você não vê, mas se você entrega e SABE que Ele está no controle, não existe espaço para o medo! Você SABE, não importa o que vê ou o que sente. Ou você sabe, ou não sabe. Ou você confia, ou não confia.

“E, se estourar contra mim a guerra, ainda assim terei confiança” Essa é uma das partes mais fortes do texto. Davi está dizendo que mesmo que tudo pareça ter sido inútil e efetivamente a guerra estourar contra ele, mesmo assim ele não se abalará. Continuará confiando, pois não importa o que vê, mas em quem ele acredita. Se ele acreditar no exército que vem contra ele, é natural se desesperar, e também é natural perder a guerra e ser despedaçado, pois o que um homem sozinho pode fazer contra um exército em guerra? No entanto, Davi sabia que não estava sozinho, e não desconsiderava a Fortaleza ao redor da vida dele. A Fortaleza era tão real quanto o exército armado, não interessava o fato de ele ver o exército e não ver a Fortaleza, pois ela continuava a existir, vendo ele ou não. Então ainda que o problema se atirasse na frente dele fazendo “buuuu” (isso acontece várias vezes em nossa vida, não é mesmo?), ele escolhia manter sua confiança, inabalável.

O Pastor Fábio também chamou nossa atenção para o versículo 5 do salmo 37, conhecidíssimo, que diz “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais Ele fará”, dizendo que Deus não tem podido fazer o mais porque a pessoa entrega, mas não confia, e essa falta de confiança tem impedido Deus de agir na vida das pessoas, não porque ele não tenha poder, mas porque Ele exige de nós essa confiança, pois não invade a vida de ninguém. Eu me lembrei de quando aprendi que deveria entregar meus problemas a Deus, e fui despertada para isso através de um livreto minúsculo (”livreto minúsculo” é algo bem pequeno, pense bem) do Kenneth Hagin chamado “Lançando nossas ansiedades sobre o Senhor” ou alguma coisa parecida. O livro chamava a atenção para Filipenses 4: 6 e 7 e acho que se eu tivesse meditado nesses dois versículos teria me poupado todo o tempo da leitura do livreto, pois eles dizem absolutamente tudo.

Então eu entregava meus problemas a Deus, de todo o coração, e começou a funcionar, as coisas foram se desenrolando, conforme eu entregava, perseverava em oração e mantinha minha confiança. Só que depois de algum tempo, eu me pegava pensando nos problemas, novamente, e percebia que havia agarrado todos eles de volta. Às vezes eu entregava e ficava segurando em uma pontinha, para me certificar de que Deus faria mesmo o que eu queria que ele fizesse, como se Ele não soubesse muito melhor do que eu o que deveria ser feito e em que tempo deveria ser feito, em qual ordem e de qual maneira. Deus teve muita paciência comigo nessa época. Então eu tinha que parar tudo, orar e entregar novamente. Fazia isso centenas de vezes por dia, até aprender a entregar e deixar com Deus. Que falta me fez ouvir a explicação o quarto segredo! (Tá, o negócio parece óbvio, agora que você sabe, mas na hora eu fazia as coisas, e como só tinha aprendido pela metade, quando acertava nem sabia como tinha acertado. Assim é meio complicado acertar novamente, né não?) O que me fazia pegar os problemas de volta era a falta de confiança, não a falta de entrega! O “pegar os problemas de volta” era justamente o medo se manifestando através da ansiedade, e isso é o oposto da confiança, é o oposto da fé! Como bem disse o pastor Fábio, se eu sair da Fortaleza para tentar resolver o problema na força do meu braço, fico desprotegida! Isso não é nada inteligente, nem quando se trata de ajudar outra pessoa. Tenho sempre que me submeter a Deus e, assim, trazer essa pessoa para dentro da Fortaleza, para que ela também esteja sob essa proteção e Deus possa agir na vida dela, como tem agido na minha.

Eu atrasei o cumprimento das promessas de Deus em minha vida por não respeitar esse princípio básico de confiança, e não apenas isso, mas também consegui uma porção de problemas desnecessários por conta de não conseguir confiar, me deixar levar pelo medo, alimentar ansiedade e me agarrar à insegurança, correndo para longe da minha Fortaleza. Se eu sair da Fortaleza, que é a Presença de Deus, o mal ataca e eu sou atingida, mas se eu me mantiver confiando, na Fortaleza, o mal é que tropeça e cai. É uma equaçãozinha bem simples, como, aliás, todas as coisas de Deus. Busque conhecer a Deus, ter um relacionamento de amizade com Ele, busque se manter dentro dessa Fortaleza e Ele te guiará os passos, pois será também a sua luz, ele te protegerá de qualquer investida do inimigo, pois será a sua Salvação, e a sua Fortaleza. Não existe mesmo razão para medo, ansiedade ou impaciência.

Originalmente publicado no site http://www.discipuladors.com.br, na categoria Heroínas da Fé.