Category: Estrutura
Quem merece sua atenção?
Vanessa Lampert | 30 de setembro de 2009 | 14:38 | Estrutura, Estudos Bíblicos | 2 comentários

Por vários e vários dias as reuniões da igreja tiveram um foco semelhante: a atenção que você dá a seus problemas tem sido maior do que a atenção que você dá a Deus? Você vai dizer que não, eu também disse. E Deus continuou batendo nessa tecla, não apenas nos cultos, mas em minha leitura diária da Bíblia, enquanto eu continuava achando que estava colocando Deus em primeiro lugar. Realmente estava, mas então me distraía e…lá estava eu pensando em problemas.

Deixe eu explicar uma coisa: os problemas existem. Óbvio que eles existem, você os vê, eles estão ali. Mas e Deus? Ele não existe? Você não o vê, mas você vê as atitudes dele em sua vida, não vê? (Se não vê, então alguma coisa está errada em seu relacionamento com Ele…e posso te garantir que o erro está em você, e não nele) Você sabe das promessas que Ele fez, sabe que Ele é fiel para cumprir…então por quê age como se o problema fosse concreto e Deus fosse abstrato? “Ah, mas com o problema eu é que tenho que lidar”…e Deus serve para quê? Nem para figura decorativa, já que você não pode pendurá-lo na parede de casa.  Meu amigo, se Deus não pode agir na sua vida, se você não dá licença para que Ele tome a direção, sinto muito, mas você está perdendo tempo. Está na igreja se fazendo de crente, cantando no louvor, fazendo caretinhas de santidade, mas isso tudo é vazio se Deus não age em sua vida. E Deus não deixa de agir em nossa vida por querer, Deus quer nos ajudar, Ele quer lutar nossas batalhas, ele quer ser Deus, ora bolas!

Se em sua vida você anda atormentado,torturado, angustiado é porque está faltando Deus. Desculpe falar assim, sem uma preparaçãozinha psicológica do tipo “hum…sabe sua vida cristã? Pois é, ela subiu no telhado…” Encare as coisas, meu amigo: ou Deus é presente em sua vida ou não é! E se você anda torturado e atormentado é porque Deus não está presente, não procure desculpas esfarrapadas, pois somente quando você encarar os fatos poderá se deixar quebrar e ser feito de novo, como Ele quer. A menos que você esteja satisfeito com uma vida religiosa que não te traz nada, nem mesmo a paz de espírito. E me desculpe, mas Deus não diz em lugar nenhum que nós devemos nos acomodar com uma vida derrotada, de tormento, de angústia e desespero. Pelo contrário, MUITO pelo contrário!

Então eu estava achando que finalmente havia aprendido a entregar tudo para Deus e que não estava me preocupando com os problemas…o mais engraçado é que eu dava desculpas a mim mesma para pegar os problemas de volta, das mãos de Deus, e tentar lidar com eles. Eu dizia que já que tinha de fazer a minha parte, era meu esforço, era o que Deus esperava de mim. Agora peraí, parte desse raciocínio equivocado tem uma base correta, e é isso o que acaba nos levando de volta ao caos sem que percebamos. Uma moça me disse certa vez: “Eu entrego as coisas nas mãos de Deus, mas vou resolvendo antes que venha a resposta, me adianto para não demorar”…hein? Então quer dizer que você sabe melhor do que Deus o que tem de ser feito e quando tem de ser feito? Então você não entregou nada nas mãos dele, você simplesmente o comunicou do que estava acontecendo e disse: “tudo bem, Deus,deixa comigo que eu me viro”. Então Ele deixa, ué, Ele deixa o povo andar na teimosia de seu coração e nos diz: “Siga seus próprios conselhos!” Tipo “já que você sabe tanto o que é o mais certo ou não, faz o que acha que tem de fazer”.

É ÓBVIO que devemos fazer a nossa parte. Mas você sabe qual é a sua parte? Eu vou dizer: a sua parte, antes de mais nada, é saber que Deus não é um vapor, Deus é um indivíduo, é uma pessoa (uma pessoa multidimensional, mas uma pessoa), você não o vê porque seus olhos não são preparados para ver nada que tenha mais do que três dimensões. O fato de você não vê-lo não significa que ele não seja real, que ele não seja concreto. Ele age, Ele é o único que realmente pode agir em todas as dimensões dos seus problemas. A partir do momento em que você sabe que Ele é um indivíduo com todo o poder sobre todas as dimensões de nosso universo, você deve entregar a Ele o problema pelo qual você está passando. A Ele e APENAS a Ele. Esqueça os “intermediários”. Não existe intermediário, é você e Deus. Se você dividir seu problema, entregando parte a Deus, parte ao São fulano, parte a Santa fulaninha, não vai funcionar, pois Ele não aceita isso (não reclame comigo, reclame com Ele, não fui eu quem escreveu a Bíblia), é Ele e ponto final.

Converse com Ele, entregue o problema a Ele, como se entregasse a uma Autoridade, pois Ele é a maior Autoridade que existe, Ele tem toda a autoridade. Depois de ter certeza de que seu problema está nas mãos dele, entregue sua vida inteira a Ele, seu coração, sua mente, suas vontades, seu futuro, seu presente, seu passado, tudo o que você quer ser, tudo o que você é, tudo o que você tem e tudo o que você quer ter. Aqui eu faço uma pausa porque estou vendo um crente olhando para o lado. É contigo mesmo, meu amigo, não estou falando aqui apenas com quem não conhece Deus, mas com você mesmo. Se você tem mais informações a respeito da Bíblia do que muita gente, não me importa, sinceramente, porque se você realmente conhecesse a Deus, tivesse vida com Ele, não estaria atormentado, ansioso, deprimido. Então faça essa oração, como se não o conhecesse, porque Ele tem muito mais alegria em ver alguém que está realmente interessado em obedecê-lo e serví-lo, com humildade verdadeira, do que em ver um religioso que se orgulha de sua humildade dizendo “não, eu não preciso fazer nada disso”. Eu estou escrevendo para quem quer uma vida com Deus, um encontro com Deus, um compromisso com Ele, independente do tempo de igreja que você tenha ou deixe de ter.

Depois de se entregar de corpo e alma a Deus, assuma que você não estava conseguindo fazer nada sozinho e peça a Ele ajuda para seguir seu caminho. Peça a Ele para te guiar, para te orientar, para afastar do seu caminho o mal, peça a Ele que te mostre para onde ir, o que fazer e que te dê a direção. Ele sabe por onde você deve ir, depois dessa oração, você pode ficar tranquilo, SABENDO que está tudo nas mãos de Deus – agora sim – e que Ele vai te dirigir os passos, vai colocar em seu caminho as coisas que você precisa aprender, vai te ajudar a entender, e você finalmente conseguirá sair do lugar. Não é uma mágica, você simplesmente estará mostrando a Ele que tem interesse genuíno em conhecê-lo de verdade, não apenas de ouvir falar, não quer apenas ter informações a respeito dele. Você quer saber quem Ele é, como Ele age, como Ele pensa, assim como eu escrevi no texto anterior. Esse é apenas o primeiro passo. E sempre que aquele problema que você não consegue resolver vier à sua cabeça para te atormentar, pare onde você estiver e entregue o pensamento a Deus. Entregue quantas vezes for necessário, até que o tormento passará, pois você terá plena confiança de que Ele está no comando daquela situação. E fique atento, porque Ele falará contigo. Não feche seu coração para o que Ele tem a te dizer e a te mostrar, porque, como eu disse, esse é apenas o começo.

Então, continuando, eu já faço isso há algum tempo, mas como não havia colocado TUDO nas mãos dele (algumas áreas do meu coração eu realmente não entreguei, pois resisti, principalmente no temperamento), isso prejudicou a comunicação e Ele teve de criar uns atalhos que certamente não queria, para que eu percebesse que faltava entregar e pudesse fazer a escolha consciente de colocar toda a minha vida nas mãos dEle. Mas a gente tem de manter a vigilância. Porque, como eu estava dizendo no início do texto, comecei a tomar os problemas de volta e tentar pensar em cima deles, ao invés de fazer o que realmente funciona: colocar o pensamento na Palavra de Deus, nas promessas dele, entregar os problemas e ir para a luta, sabendo que já sou mais do que vencedora.

Então meu esposo me deu o golpe certeiro, ele disse: “Vanessa, você está olhando para o problema, está dando atenção para os aspectos negativos de cada situação ao invés de olhar para o que Deus já disse que irá fazer, para a vitória que Ele já te deu”. Nesse mesmo momento voltaram à minha mente todas as palavras que Deus me disse nas últimas semanas, todas aquelas mensagens das reuniões de quarta, de domingo, do discipulado, de sábado (e de terça, e de sexta, e de segunda…risos…), tudo o que eu havia lido na Bíblia e o que Ele havia falado ao meu coração. Tudo veio se encaixando, como um quebra-cabeças gigante, para que eu percebesse onde estava escorregando e o que deveria fazer para consertar antes que desse algum problema.

Esse também é um “efeito colateral” de entregar as coisas para Deus. Se você começa a sair do caminho, Ele logo vem e te puxa de volta, te colocando novamente nos trilhos. Então não tem medo, não tem perigo, não tem problema, não tem risco. Desde que você se mantenha ouvindo a voz de Deus ATENTAMENTE e se comprometa a seguir, a obedecer tudo o que Ele disser, tudo irá bem. Até o que era para dar errado acaba dando certo, porque é promessa. Ele diz que se ouvirmos a voz dEle atentamente e andarmos no caminho que Ele nos orientar, as bênçãos nos alcançariam. Então imagine a bênção correndo atrás de você para te alcançar. Você vai fugir dela? Acho que não, né?

Então por que você dá atenção aos problemas? Porque dar atenção aos aspectos negativos de tudo o que você vê, de tudo o que você ouve, de tudo o que você lê, de tudo o que te acontece? Por que você SEMPRE procura olhar as coisas e as pessoas com olhos maus, buscando ver o que há de errado, qual é o problema, procurando significado negativo oculto em tudo o que as pessoas dizem ou fazem? O Senhor Jesus diz que se seus olhos forem maus, todo o seu corpo andará em trevas. Também diz que se seus olhos forem bons, todo o seu corpo será luminoso. Se você tem andado em trevas, atormentado, torturado, tendo de lutar em sua mente, em seu coração, se tem se arrastado, cansado, exausto, desanimado, deprimido, é porque seus olhos têm sido maus. Seus olhos só são maus se você escolhe manter o hábito de olhar tudo com esses maus olhos. Porque isso é hábito, ninguém nasce com olhos maus. Está em seu poder decidir se vai alimentar um jeito ruim de olhar, uma forma negativa de ver o mundo, as pessoas, a vida ou se vai parar de dar comidinha para os olhos maus e começar a alimentar os bons olhos, ver as pessoas de forma positiva, entender tudo o que você ouve de maneira positiva, sempre buscando ver o lado bom, sempre tendo expectativa de melhora, sempre tendo certeza da vitória, pois sua vida está nas mãos de Deus, ora bolas!!! Ou está ou não está! E nosso Deus não é carrasco! Busque conhecer a quem você serve. Então você saberá como serví-lo.

Só Ele merece a sua atenção. Não há nada maior do que Ele, nem seu problema, nem seu desespero, nem mesmo a sua religiosidade. Nada pode ser maior do que Ele, e se você está com Ele, nada pode ser maior do que você, do que a sua vontade. O que você alimentar é o que vai crescer em sua vida, aquilo que merecer a sua atenção é que terá todo o poder e autoridade, você vai fortalecer aquilo em que colocar a sua atenção, a sua força. Coloque a sua atenção e sua força em Deus e seus problemas ficarão pequenos, suas dificuldades se tornarão minúsculas, pois você conseguirá enxergar sob uma perspectiva bem mais privilegiada e terá clareza para tomar as melhores decisões, pois Ele te apontará o caminho.

O Escritor dos Escritores
Vanessa Lampert | 27 de setembro de 2009 | 19:05 | Estrutura, Estudos Bíblicos | Nenhum comentário

Conversando com minha mãe, ela me contou da filha de uma amiga, que disse não ler a Bíblia porque era muito complicado de entender, porque achava que não era tão importante ler.  O ponto principal, colocado por minha mãe a ela, para explicar a importância de ler a Bíblia, bastante óbvio se você parar para pensar, é: “como você vai servir a um Deus que você nem conhece?” Sem saber como Ele é, como Ele age, como Ele pensa, como seguí-lo? É por isso que vemos tantas pessoas fragilizadas, tanta gente enfraquecida nas igrejas, de um modo geral. Porque as pessoas não conhecem Deus, não sabem quem Ele é. Procuram conhecer a Deus pela experiência e informação dos outros, enquanto Ele deixou Sua Palavra escrita para que ali pudessem conhecer tudo a respeito de sua personalidade, seu caráter e sua maneira de pensar. Não precisamos e não podemos seguir a Deus pela cabeça dos outros, é NECESSÁRIO termos experiência pessoal com ele, uma amizade mesmo.

Se eu admiro um escritor, procurarei ler tudo o que ele escreveu para saber o que se passa em sua cabeça, para absorver o espírito daquela leitura, não é? Nosso Deus é o Escritor dos escritores, é o maior de todos, incomparável. E nos deixou um Livro que é maior do que qualquer outro livro, pois cada versículo se desdobra em uma longa conversa com Ele. É um livro multidimensional, escrito pelo único Ser multidimensional que existe, que é o nosso Deus. A Bíblia é completa, é perfeita, e Deus está pronto para nos revelar todas as dimensões de sua Palavra, se nos colocarmos à disposição dele para fazer essa leitura, com sede de conhecê-lo. Eu sou escritora, passei muito tempo da minha vida exclusivamente escrevendo, e só não publiquei nada por editora alguma porque realmente não quis, pois tive convites, mas nunca me sentia segura o suficiente para concluir um dos meus inúmeros livros começados e dizer: “está pronto, está bom, quero publicar”. Mas continuei escrevendo artigos, fazendo revisões, trabalhando com literatura, que era minha principal atividade antes de começar a trabalhar com escultura personalizada. É tão legal quando alguém diz: “gosto muito do que você escreve”, e quando alguém acompanhava meu blog há bastante tempo acabava me conhecendo bem e fazendo amizade comigo. O contrário também era verdade, pelo que eu escrevia, a pessoa via se tinha ou não afinidade com meu jeito de pensar e se aproximava, ou se afastava. Em alguns momentos, eu via, por um comentário ou outro, uma pergunta que eu já havia respondido no texto, que a pessoa tinha tido preguiça de ler todo o post. Isso era muito chato, porque dava vontade de dizer: “escuta, lê tudo novamente, que a resposta está ali”. E às vezes eu até dizia…claro que com outras palavras (com mais palavras).

Com Deus é a mesma coisa. Imagina que chato você batendo em uma tecla com Ele, uma dúvida que Ele já respondeu no Livro que escreveu e que deixou para você ler. Como escritora e como amiga eu me sinto tão desprezada quando alguém que se diz meu amigo ou mesmo algum parente diz que não lê meu blog porque tem preguiça, meus textos são longos, eu uso palavras difíceis e cansa ler. Parece que a pessoa quer dizer que não se interessa pelo que eu penso, pelo que eu quero dizer e que eu não sou assim tão importante para que ela gaste um pouquinho de seu tempo tentando me conhecer melhor. Em contrapartida, é tão prazeroso, eu me sinto tão amada quando algum amigo ou parente me diz que eu devo escrever com mais frequência, que sente falta de meus textos, que mesmo eles sendo longos são tão gostosos de ler que quando mal percebe, eles já acabaram! Eu me sinto valorizada, amada e dá vontade de escrever mais, de fazer mais por essa pessoa que me considera tanto.

Perdi a conta de quantos e-mails recebi de pessoas que eu nem conhecia, pedindo atualizações dos blogs e de artigos nos sites em que eu colaborava, elogiando os textos e dizendo que sentiam a minha falta. E hoje eu penso que se uma pessoa é capaz de demonstrar carinho e consideração por outra pessoa que nem conhece, somente por gostar do que essa pessoa coloca de si no que escreve, imagina qual não seria a atitude correta de alguém que diz amar ao Senhor sobre todas as coisas, diante daquilo que Ele escreveu?

Amigo, se você quer conhecer a Deus, comece pelo blog dele, a Bíblia Sagrada. Ele tem atualizações diárias e eternas, ainda que nenhuma letra mude, Ele nos revela coisas novas a seu respeito todos os dias. E, como já escrevi, em outro artigo, Ele quer ser nosso amigo, quer falar conosco como falava com Moisés (”como alguém fala com seu amigo”), é esse nível de intimidade que devemos buscar ter com Ele. Não somos menos do que os homens da Bíblia, nem somos mais, somos iguais e temos condições de ter o mesmo relacionamento com Ele. Aliás, como estamos no tempo da Graça, com o Espírito Santo em nós, não estamos mais separados de Deus, e Ele deveria se manifestar em nossa vida muito mais do que no Antigo Testamento. Por que o povo acha que o tempo da Graça tem de ser tão sem graça? Sem convívio íntimo com Deus, sem amizade, sem poder, sem milagres, sem maravilhas? Não é assim, não! Leia a Bíblia, procure conhecer quem é o Deus que você serve e você nunca mais terá dúvidas a respeito do que Ele quer e do que Ele não quer fazer em sua vida.

Agradar a Deus
Vanessa Lampert | 4 de setembro de 2009 | 23:38 | Estrutura, Estudos Bíblicos | 11 comentários

Em várias passagens bíblicas fica claro o quão importante é agradar a Deus, mas eu sempre tive a dúvida: como agradar a Deus?

Quando se fala em agradar a Deus, logo vem à mente a passagem Bíblica em que Paulo diz que “Sem fé é impossível agradar a Deus” . Hebreus, capítulo 11, no versículo 6: “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus”. Um pouco antes, no versículo 1 do capítulo 11:

“Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que não se vêem” Então sem ter a certeza do que eu espero e convicção do que eu não vejo, é impossível agradar a Deus. Primeiro, pelo óbvio: não consigo ver Deus, então tenho que crer que Ele existe, mesmo sem ver, para isso é necessário fé, pois espero que Ele exista, e tenho certeza que Ele existe.   Mas vai além, pois ele fala em “fatos que não se vêem”. Deus não é um fato, Deus é uma pessoa, um indivíduo. O fato é a Palavra dele, é o que Ele disse que vai acontecer. A fé te faz ter convicção de que o que Ele disse é verdade, antes que você veja, como se já tivesse visto. Para quem é da fé, não faz diferença ver ou não ver, a pessoa crê, tem convicção, da mesma maneira.

Então eu preciso disso para agradar a Deus. E por quê Deus se agrada disso? Porque atitudes de fé permitem que liberemos todo espaço para que Deus possa agir em nossa vida. Ainda tenho de escrever algumas definições básicas a respeito do universo, para você entender como isso funciona, mas imagine que vivemos no interior de uma cebola, naquele miolinho, eu, você, nosso mundo, todo o universo visível. As camadas externas fazem parte da cebola, envolvem a cebola, conseguem ter contato com o miolinho, mas o miolinho, olhando para si mesmo, não é capaz de ver as camadas externas. Deus está na última camada da cebola, vê todas as camadas, inclusive o miolinho, e sabe como as coisas funcionam, como fazê-las funcionar. Ele precisa que confiemos nas coisas que Ele nos diz e que façamos de acordo com o que Ele falou. Mas como fazer isso se, olhando para o miolinho da cebola, para a situação, para o problema, dou mais atenção ao que estou vendo do que ao que Deus me diz? Como posso ter convicção daquilo que não vejo, se só consigo acreditar no que estou vendo?

Aliás, é uma baita mentira esse negócio de dizer que só acredita no que vê. A pessoa acredita no que não vê, também, mas só em coisas ruins. Acredita que não vai dar certo, ainda que a situação não tenha sido concluída. Acredita que a pessoa vai morrer, mesmo que ela ainda esteja viva, na UTI, só porque o médico falou, acredita que nunca vai conseguir ser feliz no amor, ainda que esteja solteira, com milhões de possibilidades à sua frente. Ela está solteira e tem certeza de que nunca irá se casar, apesar de querer muito. Uai, ainda que ela queira se casar, ela espera não se casar, já está esperando isso. E quando tem certeza de que não vai conseguir casar, ela está tendo certeza de algo que espera…isso é fé! Ela está aplicando sua fé em algo negativo, com tanta força, que pode acabar fazendo acontecer. Isso não agrada a Deus! Mas ela sabe usar a fé, veja só, só não usa para as coisas certas. Por quê? Porque dá ouvidos às forças espirituais do mal, mais do que ouve a Deus.

Então eu preciso usar a fé para agradar a Deus, ter o pensamento da possibilidade, ter a certeza do cumprimento das promessas. Não tenho que saber COMO Deus vai fazer, só tenho de saber que Deus vai fazer! Ter convicção disso, sem dúvida nenhuma.

Tiago 1:6-8 diz outra coisa interessante a respeito da fé que agrada a Deus. Ele começa falando que se alguém precisa de sabedoria, deve pedir a Deus (aliás, bom conselho: em sua oração hoje, peça sabedoria a Deus. Peça todos os dias, e todos os dias Ele te dará mais e mais sabedoria e entendimento da Palavra e de como você deve agir em seu dia-a-dia, em tudo). Então ele aproveita para explicar como deve ser feito esse pedido:

“Peça, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento. Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa; homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos”

Pare aqui, meu amigo, releia o que Tiago diz. Primeiro, ele diz para pedir com fé. Depois explica o que é pedir com fé: Não duvidar EM NADA. O contrário da fé não é a razão (razão é complemento da fé, as duas DEVEM andar unidas), o contrário da fé é a dúvida. O cara que duvida não agrada a Deus (taí a resposta rápida e certeira para quem ainda questiona se é certo ou não ter convicção, ter certeza daquilo que a gente espera de Deus), e Tiago ainda esculhamba a criatura, dizendo que “o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento”. A onda vai e vem, vai e vem, vai e vem….é a pessoa que tem altos e baixos, uma hora ela está bem, outra, está mal. Uma hora ela está forte, em outra, está debilitada. Quem vive assim não vive pela fé, pois os da fé não são movidos pelo vento da dúvida.

E Tiago completa, direto e sincero, sem voltinhas: “Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa”. Forte isso, não??? O homem que duvida, que não vive pela fé, não deve esperar alcançar alguma coisa do Senhor. Duvidando, mesmo dentro da igreja, Tiago deixa claro que ele jamais alcançará de Deus alguma coisa. O pior é que depois o indivíduo não recebe nada de Deus (por ter dado lugar à dúvida) e sai ligando a metralhadora giratória: coloca a culpa na igreja, coloca a culpa no pastor, na palavra que foi pregada (dizendo que “não e bem assim”), coloca a culpa até em Deus, mas não consegue sequer admitir que o erro está nela mesma, em sua falta de fê, em seu ânimo dobre, em sua inconstância espiritual.

Mas como posso saber se estou ou não agradando a Deus? O Salmo 41:11 deixa bem claro: “Com isto conheço que tu te agradas de mim: em não triunfar contra mim o meu inimigo.” Ou seja, é o RESULTADO que te mostra se você está ou não agradando a Deus. Hoje nossos inimigos são os problemas, as forças espirituais do mal, aquelas situações que não conseguimos resolver sozinhos. Se os problemas têm triunfado sobre a sua vida, significa que a sua vida não tem agradado a Deus, ou seja, que você tem andado em dúvida, não em fé, não tem estado diante de Deus com inteireza de coração, nem com certeza de que Ele te ouve e é poderoso para te responder e vai te dar a resposta. A forma de saber se eu estou agradando a Deus é olhar para a minha vida e ver se os problemas estão me atropelando ou se eu tenho tido vitória sobre cada problema que se levanta contra mim. É bem simples, assim.

As coisas de Deus são bem mais simples do que te contaram, sinto lhe informar….todas aquelas voltinhas que fizeram em torno disso, para parecer que a Bíblia é um livro extremamente complexo, capaz de ser decodificado apenas por poucos escolhidos, era pura enrolação. A única pessoa capaz de te mostrar a realidade da Bíblia é o Espírito Santo, e a boa notícia é que ele é a pessoa que mais quer que você entenda a Bíblia, ele é a pessoa que mais deseja que você entenda essas coisas todas. O evangelho é simples. É quase um joguinho de lógica: SE você fizer isso, ENTÃO acontecerá isso, isso e isso. SE, porém, você fizer aquilo, ENTÃO acontecerá tal e tal coisa. Tudo gira em torno de causa e consequência, por isso a fé tem de andar lado a lado com a inteligência, com o raciocínio, e a emoção tem de ficar lá no cantinho dela, controladinha, sem se meter na conversa.

A partir do momento em que você conseguir entender quem é Deus, como Ele pensa, como Ele age, qual é a personalidade dele, o que Ele quer, o que Ele espera, como as coisas funcionam, tudo começará a fazer sentido, a se encaixar e dar RESULTADO. Como você vai ser amigo de alguém a quem você não conhece? Como seguir um líder que você nem sabe como pensa ou como age? A hora em que você estiver pronto para assumir que não sabe nada, jogar fora todo o “evangeliquês” que aprendeu, e se dispuser, diante de Deus, a conhecê-lo e aprender desde o começo, como uma criança, dizendo a Ele que quer conhecê-lo de verdade, você conseguirá confiar, saberá quem Ele é, terá condições de crer, sem duvidar, verá o resultado em sua vida, verá os problemas perdendo a força e sendo destruídos diante de seus olhos…verá que seu inimigo não triunfa mais sobre você…e saberá que, finalmente, está agradando a Deus.

Falando aos crentes
Vanessa Lampert | 26 de agosto de 2009 | 14:59 | Estrutura, Estudos Bíblicos | Nenhum comentário

Eu costumava dizer que a última coisa que eu queria era escrever para crente. Na minha cabeça, quem estava na igreja deveria buscar sozinho intimidade com Deus, pois já conhecia a Palavra. Eu acreditava que se tivesse algum dia de escrever sobre Jesus, teria de escrever para quem não o conhecesse, para apresentar Jesus aos de fora da igreja, afinal de contas, fomos chamados para isso.

Meu raciocínio não estava de todo errado. Eu via os blogs cristãos e eles eram feitos para um grupinho fechado, escritos em evangeliquês, como se estivessem evangelizando os não-cristãos, mas utilizando-se de linguagem evangélica, e eram (obviamente) lidos apenas por evangélicos (por alguns, os que tinham saco para textos em evangeliquês arcaico), comentados por evangélicos, e aquelas palavras não surtiam efeito algum para ninguém, pois não chegavam ao público-alvo e não faziam diferença nem para os que as escreviam, nem para os que liam. Era um processo bastante esquisito, mas eu via os crentes se fechando em guetos, porque é bem mais fácil ser crente no meio de crente, né não? Duro é ser crente o suficiente para viver como uma pessoa normal no meio de não-cristãos e mostrar o caráter de Cristo de verdade, sem falar evangeliquês.  As pessoas sabem ser religiosas, mas são poucas as que sabem ser cristãs de verdade.

Então me encontro em um determinado momento de minha vida em que Deus me colocou em um cantinho. Não tenho como fugir mais. Porque enquanto eu estive fugindo e negando o que Ele queria que eu fizesse, só me dei mal. Tenho visto o quanto as pessoas dentro das igrejas evangélicas estão dependentes espiritualmente, presas à religiosidade, presas ao “formato de crente”, achando que as coisas de Deus são para dentro da igreja, e lá fora é lá fora.

Tem me incomodado muito ver gente que se diz cristã e quando abre a boca deixa claro que não faz a menor idéia do que isso significa, pois continua escrava da situação, escrava dos problemas, escrava da ansiedade, escrava do medo, escrava do desânimo, escrava do sentimentalismo, escrava da gangorra emocional. “Para a liberdade foi que Cristo vos libertou”, porém existe muita gente achando que foi liberta, mas que continua a arrastar correntes pelos seus dias.

Eu mesma já estive nessa situação, pois tendo nascido em lar cristão e crescido em Escola Bíblica Dominical, passado por vários retiros espirituais, por gincanas bíblicas que me ensinaram a desembainhar a Espada, um, dois, três! E decorado centenas de versículos bíblicos, musiquinhas cristãs para todas as idades, visitado várias denominações evangélicas e mudado três vezes de igreja, já tive cargos dentro das igrejas, já fui obreira, já fui “tia” da escolinha das crianças, participei de diversas peças de teatro, de grupo de dança, de corais, já fiz limpeza na igreja, já estive na área administrativa, e também já passei anos sem fazer absolutamente nada dentro da igreja. Também passei por períodos em que ia à Igreja só quando dava, quando eu não estava cansada, quando não estava chovendo, quando eu não estava com preguiça, ou doente. Nisso acabei ficando mais de um ano praticamente sem ir à igreja. Ia apenas para cumprir uma obrigação, mas achava que não era necessário, pois eu buscava a Deus em casa.

Ou seja, já passei por praticamente todas as fases de uma pessoa dentro da igreja, e um dia me dei conta de que não estava tendo a “Vida abundante” que Jesus promete em uma daquelas passagens Bíblicas que decorei. Onde estava o erro? Onde eu, tão sincera e dedicada a Deus, estava errando? Em determinado momento fui obrigada a revisar a tal sinceridade e dedicação e me dei conta do quanto estava sendo negligente e de que eu precisava buscar a Deus como se não o conhecesse. Esquece, Vanessa, que você tem quase trinta anos de igreja, porque isso não vale nada. Sorry, mas nada do que você faz ou já fez dentro da igreja faz alguma diferença para Deus se o seu coração e sua vida não estiverem 100% nas mãos dele.

Lá fui eu, começar do zero. E durante essa caminhada, me dei conta de quantas pessoas estão naquela situação. E depois de ter minha vida transformada por essa simples mudança de atitude percebi que preciso, sim, falar aos crentes, até por perceber que tem muita gente dentro da igreja mais perdida do que grande parte do pessoal no mundo. Se houver ao menos um realmente sincero, que esteja verdadeiramente interessado em saber em quê exatamente está errando e quiser ser a pessoa que Deus quer que ele seja, já valeu a pena.

Usarei este blog, a partir de hoje, também para passar a Palavra que Deus tem dado a mim. O que você, leitor, fará com essa informação, já não é da minha alçada, é contigo. Mas se você realmente quer ser um cristão de verdade, prepare-se, pois não é nem um pouco difícil…e por isso mesmo, não é nada fácil.


PS: Não espere evangeliquês porque eu não falo essa língua. Não espere definições teológicas e palavras em grego, que não tenho a menor intenção de complicar o que é simples.  Meu compromisso com vocês, agora, é diário. Todos os dias colocarei um texto novo a respeito do que é ter vida com Deus. E não espere também linguagem rebuscada, ou aparência de santidade. Tiremos, por favor, essas frescuras de nosso meio, pois as coisas são bem simples, bem práticas, concretas. Mas vá por mim, vale muito, muito a pena aprender assim.