Um trecho que achei importante comentar do livro “A Divina Revelação do Inferno”, de Mary Baxter, mas que resolvi trazer para cá, para não deixar a resenha grande demais. Realmente preocupante a parte em que ela descreve uma festa com várias lindas moças, observadas por satanás, e faz o seguinte relato:

“Ouçam-me e me obedeçam” disse Satanás a elas. “Façam tudo o que eu mandar e vocês sempre conservarão seus lindos corpos. Agora olhem, que eu vou mostrar onde vocês farão as minhas obras malignas.”

Satanás disse: “Vão a esses lugares, vivam e ajam como pessoas normais. Engane a muitos, e desviem o maior número possível de pessoas de Deus. Estarei observando vocês, cada passo será conhecido por mim. Cuidado para não serem pegos, porque estarei vigiando vocês. (…)

Lembrem-se que vocês têm o poder de tomar a forma que desejar. Eu as enviarei a qualquer lugar que você precisarem para ter sucesso. Agora vão e façam a minha obra, e voltem dentro de um mês.

(…)

Elas eram espíritos sedutores, demônios do inferno soltos na terra e as pessoas não

sabiam que elas eram demônios.”

Conseguem ver o perigo disso? Começar a olhar para as pessoas, como se elas fossem personificação de demônios! Então a guerra do crente deixa de ser espiritual e passa a ser carnal, julgando os outros, lutando contra as prostitutas e os homossexuais, fazendo verdadeiras cruzadas de ódio e destruição, achando que aquilo é lutar contra o inferno! O que estão fazendo, na verdade, é lutar contra as vítimas, vacinando cada uma delas contra o evangelho. Enquanto o inferno ri, agradecido.

Ao mesmo tempo, os verdadeiros espíritos sedutores e enganadores agem no meio dessas pessoas, mas como não são visíveis, são aceitos até mesmo como se fossem Deus! Uma confusão sem fim, e não é de se espantar que elas colecionem perturbações de todas as espécies.

Por favor, eu lhe peço que acredite no que estou dizendo, porque é a pura verdade. Foi tão difícil para mim a preparação deste relato que fiquei até doente.

Note aqui como mais uma vez o espiritual é confundido com o emocional e sensorial. “Oh, ela ficou até doente!” mostra o quanto ela é espiritual e o quanto aquilo foi verdadeiro.  Isso vem do catolicismo, do culto ao sofrimento. Todas aquelas freiras que manifestavam, que tinham visões, iam parar no hospital, doentes, por causa das “revelações”. Esse pensamento diz que quanto maior o sofrimento, maior a santidade. Lembro que era comum ver “irmãos” dizendo que entraram em um determinado lugar que estava espiritualmente carregado, e passaram mal. Isso era prova de que esse irmão era sensível… Em nossa fé emotiva, a gente achava que isso fazia sentido.

No entanto, a fé racional não aceita isso. Se Jesus disse que nos deu autoridade sobre todo o poder do maligno, então são os espíritos malignos que devem sentir mal em nossa presença, e não o contrário. Depois muitos cristãos querem saber o segredo do “ministério de libertação” tão eficaz da Igreja Universal. Tá aí o segredo: fé inteligente, e não emotiva.